NO AR AGORA!

Playlist

00:00 06:00

Omar Aziz “desafia” Bolsonaro na CPI: “Diga que Luis Miranda está mentindo”

Publicado em 8 de julho de 2021

A apoiadores no Palácio da Alvorada, presidente disse que Aziz desviou verbas públicas do Amazonas

O presidente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado, Omar Aziz (PSD-AM), fez um “desafio” ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na sessão desta 5ª feira (8.jun.2021) e pediu para o mandatário se manifestar sobre as declarações do deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) ao colegiado.

O congressista disse em depoimento à CPI em 25 de junho que teria alertado Bolsonaro pessoalmente sobre supostas irregularidades na compra da Covaxin. Segundo Miranda, o mandatário teria respondido que as suspeitas teriam envolvimento do líder do Governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), que nega as alegações.

 

Por favor, senhor presidente, diga que o deputado Luis Miranda é um mentiroso. Diga à nação brasileira que o deputado Luis Miranda está mentindo. Diga que o seu líder na Câmara [deputado Ricardo Barros] é um homem honesto. Vossa Excelência está perdendo a oportunidade. Faz 12 dias hoje que o presidente, diariamente, no habitat dele, no cercadinho que é o habitat do presidente do Brasil, fala à nação de uma forma a assacar contra todo mundo”, disse Aziz nesta 5ª.

 

Ao parar para falar com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente, Bolsonaro atribuiu crimes e suspeitas a Aziz e ao relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL). “Só na cabeça de um cara que desvia do seu Estado R$ 260 milhões, como o Omar Aziz desviou, é que pode falar isso aí. Só num cara que tem 17 inquéritos por corrupção e lavagem de dinheiro no Supremo, como Renan Calheiros, faz.

As alegações que Bolsonaro fez a apoiadores foram o estopim do “desafio”. Aziz afirmou que, como, nas suas palavras, o presidente se informaria “através de compadre, coisas pequenas”, ele não daria importância ao ataque. “Presidente [Bolsonaro], nunca lhe chamei de genocida, eu nunca lhe chamei de ladrão. Eu nunca disse que o senhor fazia rachadinha no seu gabinete”, continuou.

O senador disse, então, que a cúpula da CPI –composta por ele, Renan Calheiros e o vice-presidente, Randolfe Rodrigues (Rede-AP)– mandará uma carta a Bolsonaro questionando-o se o deputado Luis Miranda disse ou não a verdade ao declarar ter ouvido do presidente que supostas irregularidades na compra de vacinas seriam “rolo do Ricardo Barros”.

Presidente, não é o senhor que vai parar esta CPI. A CPI vai se aprofundar. Não tem nenhuma linha para falar sobre Vossa Excelência sobre roubo, genocida. Lhe (sic) acuso de ser contra a ciência, de não querer fazer propaganda para a vacinação do povo brasleiro. Lhe acuso de tentar desqualificar as vacinas que estão salvando vidas. Não lhe acuso de ser ladrão, de fazer parte da rachadinha”, disse Aziz.

Procuradas pelo Poder360, as assessorias de imprensa de Aziz, Randolfe e Renan Calheiros informaram que a carta a Bolsonaro anunciada pelo presidente da CPI ainda não foi enviada.

 

Fonte: Poder 360


Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



Current track
Título
Artist